domingo, 29 de julho de 2012

Contos eróticos [Eu quando era mais novinha]


Oi me chamo sheyla tenho 18 aninhos. Nunca postei nenhuma historia aqui por receio sabe, pois todas as minhas aconteceram quando eu era pequena a partir dos meus 10, 11 anos aproximadamente. E esses fatos acontecidos me fez hoje como mulher feita , sentir atração por meninos e meninas , rsrs isso mesmo sou bi . Sou morena baixinha 1,54, olhos castanhos cabelos lisos (com chapinha rsrsrs) seios na medida ,bumbum bem redondinho ,pernas grossas e depiladas(assim como o meu corpo todo odeio pelos em mim kk ) . Desde menina eu chamava atenção mais ficava brava pelos homens repararem em mim rsrs me dava uma raiva, bom vou logo a Historia. Espero q gostem.

Bom eu estava com 10,11 anos aproximadamente e Tinha acabado de sair do banho e a mais de dez minutos estava procurando o colam e a sainha que usava para a aula de ballet. Minha mãe havia viajado para casa da avó na quarta feira, e após apenas dois dias, embora meu pai estivesse em casa de folga, tudo estava um tanto desorganizado. Cansada de procurar, fui até a cozinha perguntar ao pai, que estava comendo alguma coisa sentada na mesa, onde estava meu uniforme.
“Papai, onde esta meu uniforme?”
“Não sei, já vejo se acho filhinha”
O meu pai olhou para mim e teve um choque. Viu a filhinha apenas com uma calcinha Pink. Pois eu nem me toquei estava atrasada para a aula. Praticamente espantoso a única coisa que pode fazer foi avaliar a delicia que era o corpo de sua menininha de 1.54, que estava com os cabelos escuros caindo em ondas até o meio de suas costas. Tinha olhos castanhos e estava mordendo o lábio inferior da boquinha esperando a resposta. Ele não pode parar de olhar para a pele moreninha de seu corpo. Os peitos, como duas bolas de basquete, parecendo tão gostosos com os mamilos rosados! E no meio das pernas dela a calcinha Pink deixava-o ver o volume da carne de minha boceta gostosa e suculenta que estava tampada apena por aquele pedaço de pano semitransparente que cobria boceta lisinha e deixava o resto da virilha estufada, entre as coxas não tão grandes quanto seus peitos, mas ainda sim (afinal era novinha), muito desejáveis. Meu pai deve ter pensado ,“Onde será que ela arranjou essa calcinha, será que a mãe deu para ela?” foi o pensamento que ele teve (eu acho kkk )“tenho certeza que atrás é só um fiozinho passando pelo meio do cuzinho dela”.
“Que foi papai?”
“Nada. Onde você colocou seu uniforme ontem?”
“Coloquei pra lavar.”
“Hum... Não tem outro?”
“Não. Acho que a mamãe não lavou a roupa antes de ir. Eu estou sem sutiã também” ele olhou mais uma vez para as minhas cochas e para aquela calcinha fio dental, imaginando ela escondida na pequena bundinha da filha. Ficou extremamente feliz pela esposa ter se esquecido de lavar a roupa
“Talvez ela tenha esquecido, vamos fazer o seguinte. Se você não contar para a mamãe eu deixo você faltar na aula de balé  hoje! O que acha?” disse já planejando algo ,mais nem tive maldade .
“Serio!!! Ta bom eu não conto!!!” e sai correndo feliz para o quarto.
O pai deve ter se arrependeu de nunca se interessar por ver uma de minhas aulas de balé, onde eu estaria vestida com aquele colam apertado. Confesso q me animei ao ver ele me olhando daquela forma e pelo jeito ele estava louco por as mãos naquele corpinho delicioso igual ao da mãe. Estava sem sexo dês de que a mãe havia ido viajar e estava ensandecido pela gostosura de filha que nunca tinha reparado.
Ele foi para a sala assistir televisão em quanto me esperava descer novamente. Uma meia hora depois, (só pra provocar), eu desci descalça, com um shortinho preto meio larguinho e uma blusinha Pink transparente, exitando ainda mais o pai, com a silhueta daqueles mamilos pontudos. Eu sentei do lado dele e o abracei.
“To com saudade da mamãe.” choraminguei.
“Eu também, tenho saudade de fazer carinho nela, mas ela só volta amanhã eu acho.”
“Hum. Você pode fazer carinho em mim se quiser papai!” eu olhei para o pai e sorri inocentemente.
“Isso é uma boa ideia. Quer o carinho que o papai da para a mamãe? Mas tem que prometer que não conta pra ninguém, nem pra mamãe.” eu na inocência .
“Porque?” Eu pergunto com uma cara meia espantada, sem saber o que responder.
“Porque a mamãe vai te bater se souber que eu te dei o carinho que só deveria dar pra ela. Ela não gosta que eu acaricie ninguém alem dela, é meio egoísta sabe e não pode contar pra ninguém! Promete?”
“Hum.. Prometo!”eu sorri alegremente, imaginando que se a mamãe gostava eu também ia gostar.
“Vou começar a te fazer carinho, senta aqui no meu colinho!” o pau dele já estava duro (te me assustei e não sabia como reagir ,mais me senti a vontade ), eu sentei no colo dele, “fica de costas para o papai, isso, Poe as pernas por fora da minha, assim” Eu estava sentada com as pernas abertas, o pai começou a acariciar minha bocetinha gostosa por cima do shorts. Ele ia mexendo devagar e eu fui relaxando.
“Esse carinho é bom papai! Hum! Mas não é errado você ficar mexendo na minha bocetinha?”
“Só é errado se você contar pra alguém, você vai contar? Ou vai ser o nosso segredinho?”
“Não, prometo que não conto, mas continua ta bom.”
“Ótimo, tira o shorts que fica mais gostos!”
então tirei o shorts em quanto o pai mexia na minha bocetinha. Ficava mexendo de vagar e apertando forte quando eu me excitava, já estava sentindo a minha calcinha ficar úmida, estava louco para provar aquele mel delicioso que começava a escorrer. Com a outra mão ele levantou a blusinha e começou a apertar os meus peitos, que gostava. Eu estava gemendo suavemente e ia apertando a bunda no pau dele.
“Isso é muito bom papai! Hum, continua”
“Ta gostando delicia?”
“Ta muito gostoso, ai!” Eu começava soltar gemidos mais longos “Ta muito gostoso assim!” falava entrecortada entre gemidos. Ele virou um pouco de lado, pensando em o quanto estava molhada aquela boceta carnuda e suculenta da filha, tinha certeza que aquele monte de carne rosado deveria estar escorrendo um mel delicioso e ele já estava louco para arrancar a minha calcinha , abrir aquelas pernas morenas e quentes para dar uma chupada gostosa.
“Levanta filhinha!”
“Porque? Não vai fazer mais carinho em mim? Não ta gostando?” eu perguntei com uma cara totalmente decepcionada, parecendo muito que iria chorar se o pai não continuasse a mexer em mim.
“Você tem tetas deliciosas meu amor, quero chupar elas bem gostoso!” me levantei e fiquei olhando para o pai sem entender muito. Ele tirou roupa e antes que pudesse falar algo eu interrompi.
“Papai!” disse espantada, “Você tem uma pica enorme!” eu fiquei olhando para a pica do pai que riu.
“Vem cá, senta aqui, de frente para mim, para poder sentir ela” eu fui até ele e sentei em cima da pica dele, e me ajeitei para que ela ficasse com os joelho por fora dele, segurou a minha bunda deliciosa e começou a esfregar seu pau na minha boceta . “Isso, agora esfrega sua boceta na minha rola” eu comecei a se esfregar na pica do pai, gemia e esfregava forte, ele sentia a calcinha totalmente molhada.
“Esta bom?” eu disse que sim com um aham longo e gemido. “então fala que ta gostoso esfregar sua boceta molhada na rola gostosa do papai!”
Eu abracei ele esfregando mais forte e falei na orelha dele “Papai, esta uma delicia esfregar minha boceta molhada, na sua rola dura e grossa” ele ficou contente pela adição e completou.
“Então continua esfregando gostoso que o papai te mostra coisa melhor.” eu fiquei feliz em obedecer e ele começou a acaricia e chupar minhas lindas tetas.
fechei os olhos, ficava me esfregando na pica do pai, indo para frente e para traz e gemendo baixinho a cada movimento. “Papai, aperta minhas telinhas, chupa elas mais forte que vai ficar mais gostoso. hum”
“Tetas?”perguntou ele intrigado.
“Isso, você falou que eu tinha telinhas deliciosas então chupa elas forte, aperta elas.” eu dei um longo gemido, “isso ta muito gostoso papai, da pra ver porque a mamãe tem ciúmes, todo mundo ia querer!”
Ele riu e começou a apertar as tetas ,que gemeu mais alto. Em quanto apertava eu perdia a boca nele, apertava e lambia os meus mamilos pontudos e durinhos, eu gemia e me esfregava, até que finalmente ele começou a chupar forte, querendo enfiar os peitos inteiro na boca, o que era impossível. Ele sentia a minha boceta carnuda e molhada por baixo da calcinha encharcada esfregar para frente e para traz na sua pica, ouvia os meus gemidos e abocanhava aquelas tetas, até que não deu pra aguentar mais.
“O papai vai gozar delicia. Quer tomar o leitinho do papai?”
“Arrãn, quero sim, deve ser muito gostoso.” Eu Disse toda animada
“Então fica de joelhos ai no tapete e fica com a boca aberta” eu obedeci, fiquei de joelhos no tapete e sentei sobre os pezinhos, fiquei com a boca aberta esperando o pai que levantava e tocava uma punheta. Ele chegou perto “coloca a língua pra fora lindinha” eu mais q depressa obedeci, ele mirou e deu a primeira jorrada de porra na minha linguazinha , que ficou esperando, saíram mais três jorros de porra “pode fechar a boca, sente o gosto e engole”. na hora fiqui com a boca cheia de porra, soltei um gemido e fiz biquinho para o pai, o que fez com que escorresse um pouco de porra pelo meu queixo que formou uma grande gota que caiu nas minhas tetas, eu engoli, passei o dedo pelas tetas e pelo queixo, pegando o restinho e engoli.
“Tem mais papai?” perguntei desejando mais e mordendo o lábio inferior, ainda passando a língua pela boca e sentindo o gosto.
“Vem cá, da umas lambidinhas na rola do papai pra acabar com o restinho” ele deu uma espremida no cabeça do pau, o que fez sair mais umas gotinhas que eu lambeu como uma gata.
“Acabou?” disse com uma carinha triste.
“Não, vai lavar a boca e essas tetas deliciosas que o papai te da mais leitinho pra tomar.”
“Ta bom, eu posso ficar me esfregando mais? “
“ Vou te mostrar coisa melhor, quer?
“Quero sim” disse animada e sai correndo para o banheiro, o que fez ele reparar na minha bundinha arrebitada e redonda.
amigos e amigas
depois conto como esse conto terminou porque si não ficará muito extenso
rsrsrs

Um comentário:

  1. Leu o conto até aqui? poxa!!! Então nos deixe seu comentário. Incentive nosso trabalho.

    ResponderExcluir